Temporais devastadores assolam o Rio Grande do Sul

227
Foto: Divulgação
Publicidade

O Rio Grande do Sul enfrenta uma tragédia sem precedentes devido aos temporais que assolam o estado desde segunda-feira (29). Até o início desta sexta-feira (3), os números alarmantes revelam a extensão do desastre: 32 mortes confirmadas, 74 pessoas ainda desaparecidas e 56 feridos. Diferentemente de eventos climáticos anteriores, onde os estragos eram localizados, desta vez, toda a extensão territorial do estado é afetada.

A situação é tão grave que a Defesa Civil alertou para o risco iminente de elevação das águas em praticamente todas as bacias hidrográficas do estado, colocando muitas áreas em potencial risco de inundação. O governador Eduardo Leite (PSDB) descreveu a situação como o “maior desastre do estado”, comparando-a a “uma situação de guerra”.

O governo estadual não hesitou em declarar estado de calamidade, medida que foi prontamente reconhecida pelo governo federal. Isso permite que o Rio Grande do Sul possa solicitar recursos federais para intensificar as ações de defesa civil, incluindo assistência humanitária, reconstrução de infraestruturas e o restabelecimento de serviços essenciais.

Publicidade

Além das vidas perdidas e das pessoas desaparecidas, os impactos dos temporais são devastadores em termos de deslocamento populacional. Cerca de 24.252 pessoas estão fora de suas casas, das quais 7.165 estão em abrigos e outras 17.087 foram desalojadas, buscando refúgio com familiares ou amigos. O caos atingiu 235 dos 496 municípios do estado, afetando um total impressionante de 351.639 mil pessoas.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui