Remodelagem do transporte coletivo da Região Metropolitana de Porto Alegre é proposta

56
Proposta Transporte
Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini
Publicidade

Organizada pela Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios, uma primeira apresentação da proposta de remodelagem do sistema de transporte coletivo da Região Metropolitana de Porto Alegre foi realizada na manhã desta segunda-feira, dia 1º de julho, no Centro Administrativo Fernando Ferrari, na capital gaúcha.

O encontro reuniu o governador Eduardo Leite, o secretário da Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios, Agostinho Meirelles, o superintendente da Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), Rodrigo Schnitzer, e representantes dos 34 municípios integrantes e outros órgãos públicos que têm ligação com o sistema.

Através da Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional, a Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios está desenvolvendo o Plano de Gestão do Sistema Estadual de Transporte Coletivo Metropolitano de Passageiros.

Publicidade

Com prazo de conclusão previsto para dezembro deste ano, o estudo dará subsídios e indicará os critérios para a futura licitação das concessões que envolvem o transporte na Região Metropolitana de Porto Alegre. Conforme Agostinho Meirelles, o objetivo é lançá-las no início de 2020.

“Mais do que atender a uma obrigação formal e legal de licitar o sistema, esta é uma oportunidade de qualificarmos a prestação de serviços, integrando os municípios e os diferentes modais, reduzindo tempo gasto com deslocamento, oferecendo um preço justo e, consequentemente, melhorando a qualidade de vida de todos os que usam ou não o transporte público”, destacou o governador.

Os estudos, iniciados em 2018, estão sendo desenvolvidos pela empresa Logit Engenharia Consultiva, e incluem pesquisas com passageiros, definindo modelos geoespacial, operacional, institucional, de gestão e controle, de bilhetagem eletrônica e tecnologias aplicadas, tarifário, de gestão e de ação.

Conforme Agostinho Meirelles, esse planejamento servirá como um marco regulatório para a licitação das concessões dos serviços de transporte metropolitano.

“Além de qualificar o sistema já existente, queremos incluir novos modais, como o ferroviário e o hidroviário, integrando todos eles e os diferentes municípios”, afirmou o secretário da Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios.

Nesta segunda-feira, a Logit Engenharia Consultiva apresentou os primeiros resultados do levantamento, como volume de passageiros, velocidade de deslocamento e custos, e algumas conclusões, como sobreposição de linhas, custo elevado, queda de demanda, entre outras, além de sugestões de melhorias.

“A participação de todos os atores, União, Estado e municípios é fundamental para que os usuários tenham um transporte eficaz, qualificado e com preço justo”, afirmou Rodrigo Schnitzer. Conforme o superintendente, o trabalho segue com a discussão do assunto e construção conjunta do planejamento.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui