Porto Alegre tem 12 novos parklets nas calçadas

18
Parklets Porto Alegre
Foto: César Lopes/Prefeitura de Porto Alegre
Publicidade

Um local antes destinado ao estacionamento de até dois carros, que se transformam em pequenos parques para convívio e lazer – lugares para relaxar, recriar, ou envolver-se na vida pública da cidade – onde chegam a circular 300 pessoas por dia.

Em Porto Alegre, 12 parklets já estão à disposição da população. O prefeito Nelson Marchezan Júnior formalizou a autorização do uso de 12 parklets na capital gaúcha com a publicação de decretos no Diário Oficial de Porto Alegre.

Os parklets promovem o uso democrático e participativo da cidade ao revisar as políticas de ocupação dos espaços públicos, por meio da melhoria da infraestrutura urbana e estratégias de atuação que diagnosticam carências e identificam potencialidades, além de incentivar a vida ao ar livre.

Publicidade

Esta nova tendência de reformulação do espaço urbano torna a cidade mais humana e mais alegre, lembra o prefeito Nelson Marchezan Júnior. “Os parklets incentivam o convívio social e o embelezamento dos espaços públicos e levam mais pessoas para a rua, melhorando também a sensação de segurança. Este é um novo conceito para o município. É a população recuperando o sentimento de pertencimento da cidade”, destaca Nelson Marchezan Júnior.

A partir de novembro de 2018, a Prefeitura de Porto Alegre alterou a logística para agilizar a instalação dos parklets. Não existe mais a necessidade de tramitação por diversos órgãos, a não ser quando for pertinente.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação é a responsável por receber as solicitações, realizar a tramitação do processo e proferir a decisão final referente aos projetos. Este ano também foram oferecidos cursos para qualificar os profissionais da área de arquitetura, urbanismo e engenharia sobre este equipamento.

“Promover o uso do espaço público pelas pessoas é um dos objetivos para a mobilidade urbana da capital gaúcha. Isso é possível por meio dos parklets, que já foram aprovados pela população de Porto Alegre”, destaca Rodrigo Tortoriello, secretário extraordinário de Mobilidade Urbana.

Confira os locais que já contam com as instalações:

Origem

O termo “parklet” foi usado pela primeira vez em 2005, em São Francisco, nos Estados Unidos, para representar a transformação de um espaço de estacionamento na via pública em um miniparque temporário, como parte do evento Park(ing) Day.

Em inglês, trata-se de um jogo de palavras entre os termos parking e park – estacionamento transformado em parque. A ação tinha como objetivo propiciar o debate sobre o tema da cidade que prioriza as pessoas, sobre o uso do espaço público e a qualidade de vida.

A partir de 2010, São Francisco regulamentou a implantação dessas estruturas e, em 2011, mais de 50 unidades já haviam sido instaladas na cidade.

Em 2012 o conceito foi introduzido em São Paulo, como parte das comemorações do Dia Mundial Sem Carro. A primeira implantação de um parklet ocorreu em 2013, em caráter de teste.

Isso deu início ao processo de regulamentação que culminou na publicação do Decreto Municipal 55.045, de abril de 2014. Mediante a publicação desse decreto, o parklet se tornou uma política pública do município paulistano.

Hoje, no Brasil, além de Porto Alegre, já temos parklets em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte, Goiânia, Fortaleza, Rio Branco, Sorocaba, Curitiba e Florianópolis.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui