Concessão da Trensurb gera incertezas no setor metroferroviário

O Governo Federal pode realizar o leilão para concessão da Trensurb à iniciativa privada em 2021. A ação recebeu elogios de analistas do setor de transportes, entretanto, ao mesmo tempo, despertou uma série de incertezas.

Para avançar, o projeto depende da capacidade do governo federal em torná-lo sustentável financeiramente a investidores, sem provocar disparada nas tarifas cobradas dos passageiros.

Desde sua criação, isso na década de 1980, a estatal acumula prejuízos e nunca conseguiu, com receitas próprias, cobrir em totalidade os seus custos.

Transporte de passageiros

Diariamente são transportados passageiros entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, através de uma única linha de 43,8 quilômetros. O desejo do governo federal de repassar o serviço à iniciativa privada foi formalizada no dia 24 de maio, em uma publicação no Diário Oficial da União.

Conforme noticiamos, o texto prevê que o edital seja conhecido no primeiro semestre de 2021 e que o leilão ocorra entre julho e dezembro do mesmo ano.

Apesar de divulgar os prazos, o governo já sinalizou que dará prioridades em áreas como a de óleo gás, deixando o projeto da Trensurb para trás na fila.

O governo federal admite que o plano de conceder a estatal está entre as possibilidades, mas, até ser colocado em prática, tem muito mais coisas na frente disso.

Em 2018, a Trensurb amargou prejuízo bruto de R$ 103,9 milhões, 20,2% menor do que o apurado em 2017 (R$ 130,1 milhões). No mesmo período, registrou alta de 64% nas subvenções do Tesouro Nacional, para R$ 286,4 milhões. Isso significa que a companhia dependeu mais das transferências federais para manter suas atividades.

Trensurb

A Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre – Trensurb – é uma empresa pública vinculada ao Governo Federal, que tem por acionistas a União (99,8812%), o Estado do Rio Grande do Sul (0,0919%) e o município de Porto Alegre (0,0269%). Foi criada em 1980 e iniciou sua operação comercial em 1985.

Atualmente, opera uma linha de trens urbanos com extensão de 43,8 quilômetros, no eixo norte da Região Metropolitana de Porto Alegre, com 22 estações e uma frota de 25 trens (com outros 15 trens sendo integrados), atendendo a seis municípios: Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo e Novo Hamburgo.

Igor Roberto

Sou profissional e estudante de enfermagem, analista financeiro e de mídias sociais. Sou o criador do Rede Noticiando e co-fundador do Mobilidade Porto Alegre. Mobilidade Urbana e transporte público são os meus temas favoritos. A informação é o meu esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.