Carris demite 29 funcionários não concursados, sindicato questiona

10
Carris Porto Alegre
Publicidade

A Companhia Carris Porto-Alegrense, uma das empresas de transporte público sobre ônibus de Porto Alegre, anunciou nesta terça-feira, 23 de julho, a demissão de 29 funcionários contratados sem o concurso público.

A empresa informou que eles haviam sido admitidos antes a promulgação da Constituição Federal de 1988, que determinava a obrigatoriedade dos concursos.

As contratações dos empregados foram questionadas pelo Tribunal de Contas do Estado, na década de 1900. Na época, mais de 1,1 mil funcionários foram desligados da empresa.

Publicidade

A atual gestão identificou 31 casos remanescentes daquela época. Dois funcionários pediram a demissão.

Um processo administrativo disciplinar chegou a ser instaurado pela empresa, para que os funcionários apresentassem documentações que comprovassem a realização do concurso. Com o fim do prazo, os trabalhadores foram desligados.

O Sindicato dos Rodoviários também foi notificado, e uma parceria com o Sine, para orientação profissional, está em planejamento.

Trabalhadores demitidos por justa causa

O sindicato que representa a categoria questionou a medida. O presidente Adair da Silva informou que as demissões foram por justa causa e disse: “Pessoas com mais de 30 anos trabalhando na Carris, viviam mais na Carris do que nas suas casas. Se botassem para a rua, mas pagassem 13º salário, fundo de garantia, não ia nem questionar, porque está na lei”.

“Tem 10 [funcionários] que já estavam afastados por doença e 19 na ativa”, afirmou Adair da Silva.

Ainda, segundo ele, os funcionários desligados eram da portaria e manutenção, além de cobradores e motoristas.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui