Primeiro trimestre registra queda de 94% de assaltos a ônibus desde a criação de força-tarefa

511
Foto: César Lopes/PMPA
Publicidade

Os registros de assaltos a ônibus em Porto Alegre vêm caindo gradativamente nos últimos anos. A redução em 2022 foi de 33% em comparação com o primeiro trimestre do ano passado. Desde a criação da Força-Tarefa de Combate a Roubos no transporte coletivo da capital, a queda registra 94%, levando em conta o primeiro trimestre de cada um dos últimos seis anos.

O número de ocorrências no primeiro trimestre da força-tarefa no ano de 2016 foi de 317, um significativo contraste com as 20 ocorrências registradas entre janeiro e março de 2022. Os dados, dos consórcios e da Carris, foram divulgados na última reunião do Fórum do Transporte Seguro, no Auditório da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), na quinta-feira, 14 de abril de 2022.

O diretor de operações da EPTC, Cirilo Faé, destacou a redução drástica das ocorrências desde 2016, quando havia mais de 100 assaltos por mês nas linhas de ônibus da capital, no primeiro trimestre. Com os dados de janeiro a março de 2022, a média mensal não passou de sete assaltos. “O trabalho integrado trouxe um grande ganho para o transporte e seus passageiros, pois, no momento que se conseguiu diminuir o número de assaltos no transporte coletivo, houve maior segurança para a população. Destaco também a criação da delegacia especializada em transporte público, fundamental na repressão dos delitos”, finalizou Faé.

Publicidade

O delegado Daniel Mendelski, da Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos em Transporte Coletivo (DRTC), reforça a importância de um boletim de ocorrência feito de forma presencial, uma vez que a delegacia conta com servidores treinados para colher o depoimento, além de contar com cadastro que facilita na identificação dos suspeitos.

“A ocorrência realizada de forma presencial ajuda muito na repressão direta ao roubo no transporte coletivo. Também frisamos que não existe a obrigatoriedade do boletim ser realizado logo após o delito, pois se este for feito na delegacia mais próxima do fato ocorrido irá gerar um retrabalho, uma vez que a ocorrência será remetida para a DRTC”, ressaltou Mendelski.

O tenente coronel Eduardo Cunha Michel, comandante do 1° Batalhão de Polícia Militar, ressaltou as diversas operações realizadas pela Brigada com foco no transporte coletivo e a importância da integração para alcançar estes resultados. “Com a união de esforços, podemos intensificar as operações e garantir a efetividade das ações. Cada órgão faz a sua parte e assim contribuímos em conjunto por um transporte mais seguro”, complementa.

Fórum do Transporte Seguro

O fórum é uma iniciativa pioneira no Brasil, resultado da criação de uma força-tarefa em 2016, em razão do alto número de assaltos à ônibus e lotações. Integram o grupo o Ministério Público, a Polícia Civil, Brigada Militar, Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação (ATL), Guarda Municipal de Porto Alegre, Sindicato dos Rodoviários, Carris e os consórcios de ônibus Via Leste, Mais, Mob e Viva Sul.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui