Polícia Rodoviária Federal bloqueia trânsito na nova ponte do Guaíba devido a danos causados por colisão de embarcações

244
Barcos colidem contra nova ponte do Guaíba em Porto Alegre (Foto: João Praetzel/GZH)
Publicidade

A manhã desta sexta-feira (3) trouxe desafios logísticos para Porto Alegre, com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) impondo o bloqueio do tráfego sobre a nova ponte do Guaíba. A medida foi adotada em resposta à elevação do nível do Rio Jacuí e a “avarias aparentes” na estrutura, segundo informações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O incidente foi desencadeado pela colisão de duas embarcações contra a ponte.

De acordo com a PRF, não há previsão para a liberação do tráfego. A água atinge a margem da ponte após as enchentes que assolam o Rio Grande do Sul desde segunda-feira (29). Os dois rebocadores envolvidos no acidente encontram-se junto à travessia, contribuindo para a interdição.

A Superintendência dos Portos do Rio Grande do Sul confirmou que os rebocadores, que normalmente estão atracados na região para seguir caminho para o polo petroquímico, se soltaram, ficaram à deriva e colidiram com a ponte. A falta de vigias para supervisionar as embarcações está sob investigação, e os proprietários, identificados como empresas de Santa Catarina, foram notificados. Um rebocador foi acionado para auxiliar na remoção das embarcações.

Publicidade

Com a antiga ponte do Guaíba também bloqueada, não há conexão terrestre entre Porto Alegre e a Região Sul do Estado. A alternativa para os motoristas é utilizar a BR-448.

Na Região Norte da cidade, o acesso à Cachoeirinha pela Avenida Assis Brasil também está fechado devido a alagamentos, complicando ainda mais a mobilidade na região.

A nova ponte do Guaíba, mesmo sem estar totalmente concluída, foi inaugurada em dezembro de 2020. A obra, que já consumiu R$ 779 milhões dos cofres públicos, agora enfrenta desafios inesperados devido ao incidente, destacando a importância da manutenção e da segurança das infraestruturas para a mobilidade urbana e o desenvolvimento regional.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui