Prefeito de Canoas sanciona projetos que evitam aumento da tarifa do transporte coletivo

985
Verde Canoas
Foto: Alisson Moura/Ecom/PMC
Publicidade

O prefeito em exercício, Nedy de Vargas Marques, sancionou dois projetos de lei, que alteram as Leis nº 6.482 e 6.481, de 30 de setembro de 2021 e garantem a permanência da tarifa do transporte coletivo, de R$ 4,80, sem reajuste. A lei foi publicada no Diário Oficial do Município na terça-feira (7/6).

A partir de agora, a Prefeitura de Canoas passará a custear integralmente a segunda passagem gratuita (integração tarifária), além da gratuidade do serviço para pessoas idosas, pessoas com deficiência e pessoa que vive com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), e os 50% do valor da passagem escolar, que até então entravam no cálculo tarifário da empresa prestadora do transporte público.

“Sabemos que os canoenses estão enfrentando muitas dificuldades em consequência da pandemia e não é hora de aumentar custos. O transporte coletivo é um tema prioritário para o nosso governo. Por isso, estamos trabalhando muito não só para qualificar o atendimento à população, mas para buscar a redução do valor da passagem”, destacou o prefeito em exercício, Nedy de Vargas Marques.

Publicidade

O secretário adjunto de transportes, Lucas Lacerda, explica que a diferença é o custo no cálculo tarifário, que será custeado pela Prefeitura. “A Administração Municipal vai custear a integralidade da segunda passagem de integração, que é oferecida gratuitamente para os canoenses. Hoje, esta segunda viagem entraria no cálculo tarifário da empresa, o que representaria mais gastos na rodagem e manutenção dos veículos, impactando no valor da tarifa”, esclarece. Lucas lembra que o usuário paga a primeira passagem e, em um intervalo de 90 minutos, tem direito a realizar uma segunda viagem gratuitamente. “Para o usuário não muda nada. Fizemos esse esforço para não onerar o bolso do canoense”, pontua o secretário.

A situação também se aplica para a passagem estudantil. Atualmente, os estudantes pagam R$ 2,40 de tarifa e o restante entra no cálculo tarifário da empresa prestadora do serviço. A partir do projeto sancionado, essa outra metade será custeada pela Prefeitura. “Buscou-se alternativas para que os canoenses não sejam ainda mais afetados neste momento de instabilidade econômica. Para isso, o projeto prevê a criação de um custeio aos valores adicionais do serviço de transporte público de Canoas, mantendo assim o preço da passagem de ônibus sem aumento este ano”, frisa Lacerda.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui