Trensurb revitaliza muro da Avenida Mauá entre Estação Rodoviária e pórtico de acesso ao Cais do Porto

Empresa metroviária promoveu pintura de muro que separa Avenida Mauá da via do metrô, de forma a apoiar iniciativa da Prefeitura em qualificar o Centro Histórico da capital, no ano que se comemora 250 anos de Porto Alegre

457
Muro da Mauá
Foto: Patrick Bragé/Trensurb
Publicidade

Após embelezar e dar novo contexto ao muro da Avenida Mauá, a Prefeitura de Porto Alegre recebeu mais um apoio para a revitalização da estrutura. Uma parceria com a Trensurb possibilitou a pintura dos gradis entre a Estação Rodoviária e o pórtico de acesso ao Cais do Porto, dando nova cara ao principal acesso do Centro Histórico de Porto Alegre.

O investimento total da Trensurb foi de R$ 110 mil. A escolha das tintas levou em consideração as tonalidades já utilizadas na estrutura e a integração do muro com o ambiente. O resultado promoveu coesão visual em relação à proposta já adotada no trecho sob concessão – que conta com jardins verticais e obras de artes coloridas.

“Recebemos com muita alegria essa colaboração. A Trensurb é uma importante aliada na mobilização para tornar o Centro Histórico um local mais limpo e agradável a moradores e pessoas que circulam pela região”, afirmou o secretário de Planejamento e Assuntos Estratégicos e coordenador do programa Centro+, Cezar Schirmer, em visita ao local essa semana, acompanhado da secretária municipal de parcerias, Ana Pellini.

Publicidade

A obra foi executada ao longo de cinco dias, na semana passada, ocorrendo principalmente à noite – período que facilita o bloqueio parcial da Avenida Mauá. O diretor-presidente da Trensurb, Pedro Bisch Neto, destaca que a iniciativa visa atender ao esforço da Prefeitura para retomar o caráter de espaço e convivência do Centro Histórico. “Limpamos e revitalizamos a estrutura de proteção do trem numa proposta compatível com aquilo que a administração municipal planeja. E nada mais oportuno do que fazer isso às vésperas do aniversário de 250 anos da cidade”, avalia.

Integração com o ambiente

De acordo com a arquiteta responsável pelo projeto, Aline Fuhrmeister, da DU Arquitetura, a seleção das tonalidades empregadas na pintura do muro e gradil teve como propósito destacar a área pela mimetização e não pelo impacto. Segundo a arquiteta, a intenção “foi de mimetizar o muro com o meio ambiente, integrar através das cores esse componente tão marcante na cidade e transformá-lo em um elemento urbano confortável visualmente tanto para os pedestres quanto para os motoristas”. Uma vez definidas as cores, a empresa planejou a execução dos trabalhos em duas etapas.

Na segunda, que compreende o trecho entre as estações Mercado e Rodoviária da Trensurb, o muro foi pintado nas cores verde jade, jardim botânico, trevo pálido, lugar de meditação, folha de mate e montanha distante.

“As cores escolhidas compõem um degradê que, de forma harmoniosa, cria uma onda suave em todo o percurso”, afirma Aline Furhmeister. Segundo ela, “a ideia é que as pessoas sejam impactadas de forma positiva, ou seja, não percebam o muro como algo agressivo ou que desvie a atenção, e sim, ao identificar a pintura, vejam cuidado e respeito à cidade”. Para Aline, “é gratificante fazer parte do processo de revitalização do Centro Histórico de Porto Alegre, uma área linda porém degradada, que precisa de ações transformadoras para resgatar a história e a apropriação dos espaços pela comunidade”.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui