Prefeitura de Porto Alegre recebe proposta de dois consórcios para pesquisa sobre mobilidade na capital

180
Publicidade

A Prefeitura de Porto Alegre recebeu nesta quarta-feira, 11 de janeiro, durante sessão pública na Sala de Licitações, os envelopes de habilitação e proposta de preços de dois consórcios interessados em participar da licitação para Pesquisa de Origem e Destino e Domiciliar (Edom). O Consórcio CGC, formado pela Concremat Engenharia e Tecnologia, Certare Engenharia e Consultoria, GPO Sistran Engenharia e o Consórcio Matricial – Gnoatto Botoni – Logit tiveram os envelopes de habilitação abertos e rubricados. Após, a sessão foi encerrada. 

O secretário municipal de Mobilidade Urbana, Adão de Castro Júnior, acompanhou a sessão e ressaltou a importância da contratação para qualificar a mobilidade urbana de Porto Alegre. “As empresas que compõem os dois consórcios têm um bom know-how. Acreditamos que aquela que for habilitada tem plenas condições de nos entregar um material robusto que irá contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas sólidas para a mobilidade da capital”, destaca.

A modalidade da licitação é concorrência do tipo menor preço global. A partir de agora, a comissão de licitação faz a análise do material recebido e cabe à Secretaria de Mobilidade Urbana e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) a análise dos documentos para habilitação técnica. Após a conclusão desta fase, é marcada sessão pública para abertura do envelope da proposta de preço. 

Publicidade

“Estamos projetando abertura dos envelopes contendo as propostas já na próxima semana. Por se tratar de uma licitação na modalidade concorrência, antes de conhecermos os valores oferecidos pelos consórcios é necessário analisar se ambos estão habilitados para seguirem na disputa”, explica o secretário municipal de Administração e Patrimônio, André Barbosa.

Sobre a pesquisa

A empresa contratada deverá fazer planejamento, tabulação, aferição das matrizes de viagens dos dados coletados nas entrevistas e pesquisas complementares, se necessárias, para que haja a compreensão de como a população se desloca na capital. O contrato terá 18 meses, a contar da assinatura, podendo ser prorrogado. A partir da ordem de início, a empresa terá 12 meses para a conclusão da pesquisa.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui