Mais segurança e conforto: Trensurb renova equipamento de manutenção dos trens

Utilizado no reperfilamento das rodas dos trens, torno subterrâneo passa a funcionar de forma automática e informatizada, garantindo segurança operacional e rodagem mais suave dos trens

155
Máquinas Trensurb
Foto: Patrick Bragé/Trensurb
Publicidade

Na última sexta-feira, 14 de janeiro de 2022, a direção da Trensurb visitou a oficina de manutenção dos trens para vistoriar o torno de usinagem das rodas dos veículos. Em novembro, foram concluídos os serviços de recuperação e modernização do equipamento, que está agora em fase de operação assistida – com suporte da empresa contratada responsável. O torno subterrâneo é fundamental para a manutenção dos trens – e veículos ferroviários de manutenção -, possibilitando o reperfilamento das rodas sem a necessidade de remoção das mesmas.

Esse trabalho de reperfilamento é realizado regularmente a partir da avaliação das condições das rodas por parte dos técnicos da Trensurb. Visando garantir a segurança operacional – além de viagens mais suaves -, conforme o desgaste normal das rodas pelo contato com os trilhos, elas têm que passar pelo processo de usinagem para que se mantenham dentro dos padrões necessários para rodagem.

Os serviços executados no torno subterrâneo incluíram recuperação de sistemas hidráulicos, mecânicos, elétricos e eletrônicos, além da implantação de um sistema de controle numérico computadorizado e da informatização com acesso remoto e medição via software. Com a recuperação e modernização, o processo de usinagem das rodas ferroviárias passa a ser automatizado e informatizado, trazendo maior agilidade, precisão e confiabilidade aos trabalhos de reperfilamento.

Publicidade

Desse modo, além de garantir mais segurança e conforto nas viagens, o serviço também contribui na economia de recursos, uma vez que aumenta a vida útil das rodas dos veículos e gera ganho na produtividade dos trabalhos de manutenção.

Diretor-presidente da Trensurb, Pedro Bisch Neto destaca a importância dos ganhos relativos à segurança e ao conforto dos usuários do metrô: “Com as rodas adequadas, o trem desgasta e balança menos, principalmente agora que introduzimos um sistema computadorizado que padroniza todas as rodas. É na precisão da roda que começa a segurança do passageiro”.

Para o diretor de Administração e Finanças da empresa, Geraldo Luís Felippe, “o mais importante, junto à economia feita, é a melhoria do desempenho operacional dos trens, pois estamos sempre buscando manter nossas unidades em estado próximo à perfeição”. O investimento total na recuperação do torno de usinagem foi de R$ 1,45 milhão. A empresa contratada responsável é a Tecnodrill Indústria de Máquinas.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui