Greve dos trabalhadores da Carris afeta operação de linhas de ônibus

675
Carris Ônibus Porto
Foto: Eduardo Rodrigues
Publicidade

Das 21 linhas operadas pela Carris, oito delas não serão afetadas pela paralisação marcada para esta segunda-feira, 2 de outubro, e duas serão afetadas parcialmente. Os trabalhadores protestam contra a privatização da empresa. As linhas T4, T6, T11, T12, T1, T5, T7, T8 terão suas tabelas normais. A linha C2 será atendida com um ônibus e a linha T2 cumprirá suas tabelas a partir das 15h. Já as linhas T2A, T3, T9, T10, T11.1, T13, C1, C3, C5, 343 e 353 deixarão de operar neste dia. Esse planejamento garantirá atendimento a cerca de 70% dos passageiros que utilizam as linhas. 

A organização, feita pelos técnicos da Secretaria de Mobilidade Urbana, Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e Carris, considera a definição ocorrida durante mediação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), determinando a manutenção de, no mínimo, 60% dos ônibus da empresa. 

O foco é minimizar os reflexos e prestar um bom atendimento aos usuários das linhas operadas pela companhia, as quais correspondem a 22,44% do sistema. 

Publicidade

“Levamos em consideração as linhas que mais carregam passageiros e trajetos em que temos outras linhas funcionando que poderão suprir de alguma forma a demanda. Sabemos que a paralisação gerará transtornos à população e estamos atentos para o cumprimento do que foi estabelecido na justiça. Se for necessário vamos ajustar a operação ao longo do dia para minimizar esse prejuízo”, destaca o secretário de Mobilidade Urbana, Adão de Castro Júnior.  

Alternativas de atendimento

  • T3 – Linha transversal que sai da Av. Polônia junto à Estação São Pedro do Trensurb e vai até o Barra Shopping Sul, passando por parte do eixo da 2ª Perimetral, bairros Santana e Santo Antônio e Av. Tronco. A alternativa para esta linha é procurar outra linha no eixo de deslocamento mais próximo (Farrapos, Cristóvão, 24 de Outubro, Ipiranga, Bento, Oscar Pereira ou Icaraí) e realizar integração no Centro da cidade, buscando uma linha que vá até seu destino;
  • T9 – Linha que liga a região da Carris/PUC até a Praça Dom Feliciano, passando por bairros Jardim Botânico, Petrópolis, Auxiliadora, Moinhos de Ventos e Av. Independência. A alternativa é buscar uma linha próxima conforme sua localização e utilizar a integração para chegar próximo ao seu destino;
  • T13 – Linha transversal que sai do Terminal Triângulo e vai até a PUC/Carris, passando por Assis Brasil, Terceira Perimetral e Ipiranga. A principal alternativa de deslocamento é utilizar uma linha radial da Av. Assis Brasil e integrar com a linha 344.2 Santa Maria/3ª Perimetral;
  • Linhas C1 e C3 – Linhas circulares da região central. Buscar como alternativa linhas que chegam pelos principais eixos da cidade;
  • 343 – Linha radial que sai do Campus do Vale da UFRGS, passando pela PUC, Av. Ipiranga, Silva Só e Osvaldo Aranha. A alternativa é utilizar a T8, T1 ou alguma linha dos eixos Bento, Ipiranga ou Osvaldo Aranha, podendo haver integração para chegar até seu destino;
  • 353 – Linha radial que sai do Campus do Vale da UFRGS, passando pela Intercap, PUC, Av. Ipiranga e João Pessoa. A alternativa é utilizar a T8, T1, 375 ou alguma linha dos eixos Bento, Ipiranga ou João Pessoa, podendo haver integração para chegar até seu destino;
  • T2 e T2A – Linhas transversais que saem do Terminal ao lado do Praia de Belas Shopping indo até a Estação Farrapos do Trensurb, passando por Medianeira, 3ª Perimetral, Partenon, Jardim Botânico e Postão do IAPI (T2A). A alternativa é utilizar uma linha dos diversos eixos em que atravessa (Borges de Medeiros, Azenha, Bento, Ipiranga, Protásio, Nilo, Plínio, Assis Brasil e Farrapos) podendo utilizar integração na área central para chegar ao seu destino.
  • T10 – Linha transversal que sai do Terminal Triângulo e chega ao Campus do Vale da UFRGS, passando por Manoel Elias, Protásio e Antônio de Carvalho. A alternativa é utilizar uma linha como T4, T6 ou 495 e integrar com a linha T8 onde se cruzam no itinerário.

Maiores informações quanto ao itinerário e tabelas horárias podem ser consultadas no site da EPTC. Os usuários do transporte coletivo podem verificar a localização dos ônibus e conferir quais as linhas passam em cada ponto, em tempo real, através dos aplicativos Cittamobi e Moovit.

Histórico

Na última sexta-feira, 29 de setembro, durante audiência de mediação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), entre Prefeitura, Carris e Sindicato dos Rodoviários, ficou estabelecido o atendimento de no mínimo 60% da operação do transporte coletivo da companhia, na segunda-feira, 2 de outubro, durante paralisação da categoria. Esta foi a terceira audiência entre as partes. Em audiências anteriores, a prefeitura fez a oferta de estender a todos os funcionários a estabilidade de 12 meses já prevista no edital. A proposta não foi aceita pelo sindicato. 

Durante a semana, o prefeito Sebastião Melo se reuniu com o Sindicato dos Rodoviários e servidores da Carris por duas oportunidades. Nos dois encontros, Melo reforçou a disposição para o diálogo e que, em relação a desestatização, a posição da gestão municipal está bem amparada e cumpriu todos os trâmites determinados pela lei.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui