Consórcio integrado pela Construtora Barbosa Mello finaliza obras de pista do Aeroporto de Porto Alegre

Ampliação da pista de pouso e decolagem foi liberada, depois de concluída e homologada pelos órgãos competentes em abril

325
Aeroporto Porto Alegre
Nova pista do aeroporto da capital gaúcha tem 3,2 mil metros de extensão (Foto: Ricardo Botelho/Ministério da Infraestrutura)
Publicidade

Uma das obras mais importantes do setor de aviação civil do Brasil nos últimos anos foi inaugurada nesta quarta-feira (25/05): ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Internacional de Porto Alegre. O trabalho foi realizado pelo Consórcio HTBM (formado pelas empresas HTB, Tedesco e a Construtora Barbosa Mello).

A CBM integra o consórcio responsável pelas obras de modernização e ampliação do aeroporto da capital gaúcha desde janeiro de 2018 e tem atuado também em serviços de ampliação do Terminal de Passageiros 1, expansão dos estacionamentos, inclusive nas obras do Edifício-Garagem que conta com 4.300 vagas para veículos, construção de taxiways, etc.

Entre os trabalhos da pista, um dos mais complexos foi um sistema de drenagem de águas pluviais. Pois, devido à característica do solo e o nível do terreno onde se encontra o aeroporto foi necessária a criação de um mecanismo dividido em cinco bacias de acumulação de águas da chuva. Elas conseguem armazenar, ao todo, 1 milhão de m³ de água, o que corresponde a 406 piscinas olímpicas, em uma área de 422 mil m², ou 50 campos de futebol. O sistema usa a força da gravidade e bombas para direcionar os líquidos para o Rio Gravataí ou para uma casa de bombas da Prefeitura de Porto Alegre.

Publicidade

Outro ponto importante foi a extensão da pista de pouso e decolagem em mais de 900 metros, que agora chega a um total de 3,2 km. Com isto, o aeroporto poderá receber pousos e decolagens de novas aeronaves como os Boeings 747 e 777 e o Airbus A 330. Para tanto, a infraestrutura conta com 16 mil colunas de DSM (Deep Soil Mixing); um método que garante estabilidade do solo através da construção de colunas semirrígidas confeccionadas através da injeção de cimento produzido com o próprio solo.

O presidente da CBM, Guilherme Teixeira, destacou o empenho das empresas envolvidas no consórcio para cumprir com máxima segurança, qualidade e sustentabilidade as metas estabelecidas pelo contrato.

“Conseguimos aplicar as principais expertises da CBM, como a metodologia BIM, que tem como princípios a integração das fases do processo construtivo, a integração e trabalho colaborativo de todas as especialidades envolvidas na fase de projeto, sendo apoiada por aplicações de visualização tridimensional. Tudo, aliado à qualidade dos trabalhos da HTB e da Tedesco”, finaliza o executivo.

Empregos

Com a obra, o consórcio gerou 7.444 empregos diretos, dos quais mais de 85% eram colaboradores gaúchos.

Sobre a Construtora Barbosa Mello

Com mais de 60 anos de experiência implantado soluções de engenharia e construção em diversas regiões do país. A CBM é uma empresa consolidada no ramo da construção pesada e já recebeu várias premiações, entre elas: vencedora consecutiva do Prêmio InovaInfra de 2020 e 2021; considerada a quarta melhor empresa de construção do país pela FDC/Época Negócios; Top 5 entre as empresas mais inovadoras no setor de Construção e Engenharia no Prêmio Valor Inovação 2020; e nona maior construtora do Brasil pelo ranking da Revista Engenharia 2020 – O Empreiteiro.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui