Após ações de educação e fiscalização, julho fecha com redução de mortes no trânsito

9
Mortes no Trânsito
Foto: Maria Ana Krack/Prefeitura de Porto Alegre
Publicidade

Após intensificar ações de educação, orientação e fiscalização, a Empresa Pública de Transporte e Circulação constatou uma redução de 60% nas mortes no trânsito em julho em comparação ao mesmo período de 2019 (oito para três). Duas das três pessoas que faleceram no mês passado eram motociclistas.

Entre as ocorrências registradas em julho, 34% são acidentes com envolvimento de motocicletas. O alto índice motivou a empresa a promover campanha educativa de conscientização desses condutores até o fim de agosto.

Além de blitze educativas, peças com orientações de segurança são divulgadas nas redes sociais da empresa e também nas ruas, em espaço publicitário cedido pela empresa Sinergy Novas Mídias.

Publicidade

O número de acidentes com vítimas do início do ano até julho também reduziu 18% com relação a 2019 (2602 para 2117). Já as mortes por acidentes de trânsito diminuíram cerca de 20% (49 para 40).

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação, Fábio Berwanger Juliano, afirma que a redução geral da acidentalidade, vai além das restrições de circulação. São resultado de ações de educação, infraestrutura e fiscalização, realizadas diariamente pelas equipes do órgão.

“Apesar dos números ainda serem altos, cada vida poupada é motivo de comemoração e intensificação das ações de conscientização. Não podemos relaxar nunca”, afirma. Alerta ainda que prevenir e seguir as leis de trânsito são as melhores formas de evitar acidentes.

Já o mês de agosto começou violento no trânsito. No último fim de semana, a Empresa Pública de Transporte e Circulação registrou 13 ocorrências graves com 16 vítimas em dois dias. Na segunda-feira, 10, pai e filho se envolveram em acidente entre o carro que eles estavam e um ônibus, no cruzamento da Rua Tito Lívio Zambecari com a Rua Silva Jardim. O filho morreu.

Imprudência

O excesso de velocidade chama atenção no período de pandemia. A média de flagrantes, acima de 90 km/h, registrados nas vias urbanas de Porto Alegre teve um aumento de 96,26% em comparação ao mesmo período do ano passado, de 134 para 263, e menos operações que no ano anterior, de 2759 para 1375 ações neste ano.

A operação radar, promovida diariamente pela Empresa Pública de Transporte e Circulação foi criada para coibir os excessos de velocidades nas vias públicas.

A infração é apontada como a principal causa de acidentes graves no trânsito. Vale lembrar que o Código de Trânsito Brasileiro, artigo 311, prevê crime trafegar em velocidade incompatível com a da via, sob pena de multa ou detenção de seis meses a um ano.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui