Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem fiscaliza transporte clandestino de passageiros no Aeroporto Salgado Filho

22
Ônibus Aeroporto de Fiscalização
Além da abordagem realizada no aeroporto hoje, o Daer fiscaliza os veículos nas estradas e estações rodoviárias (Foto: Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem)
Publicidade

Os ônibus, micro-ônibus e vans que realizam o transporte clandestino de passageiros foram mais uma vez alvo de uma ação do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem.

Nesta sexta-feira, dia 4 de dezembro de 2020, os fiscais da autarquia – vinculada à Secretaria de Logística e Transportes – realizaram uma operação inédita no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.

Treze servidores do departamento verificaram se os ônibus, micro-ônibus e vans que transitavam pelo local ofereciam o serviço de acordo com as normas de qualidade e segurança que regulam o sistema de transporte intermunicipal de passageiros. Dos 32 veículos abordados, dois foram apreendidos e três notificados.

Publicidade

“Além de proteger o sistema, essa ação foi voltada à preservação da vida”, salienta o diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Luciano Faustino. “Com a abordagem aos veículos, foram identificadas empresas que fazem passeios turísticos com problemas tanto na documentação quanto nas condições dos veículos, o que afeta diretamente o risco durante o deslocamento nas estradas”, relata.

A equipe de fiscalização também observou se os veículos, apesar de cadastrados na autarquia, não tinham autorização para circular – o que pode acontecer devido a problemas na documentação.

As penalidades aplicadas aos transportadores clandestinos e irregulares englobam multas às empresas e apreensão do veículo.

De acordo com o diretor de Transportes Rodoviários do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem, Lauro Hagemann, a maioria das denúncias dizem respeito a viagens à Serra Gaúcha. “Os usuários costumam ser abordados ao desembarcarem do avião e chegam a viajar em veículos de passeio, que não contam com nenhum tipo de fiscalização”, afirma.

Segundo Lauro Hagemann, a atividade que ocorreu no aeroporto da capital gaúcha soma-se às realizadas periodicamente nas rodovias e estações rodoviárias. “É um trabalho contínuo, no intuito de surpreender os infratores que colocam em risco a vida dos usuários de diversas formas, inclusive com desrespeito às regras de distanciamento social durante a pandemia”, acrescenta.

A ação do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem fez parte da Operação Ressurreição, realizada em conjunto com a Empresa Pública de Transporte e Circulação, Brigada Militar e polícias Civil e Federal. Além de irregularidades no transporte intermunicipal, foram apurados crimes como o tráfico de drogas.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui