Porto Alegre registra redução de 15% no número de acidentes de trânsito em janeiro

138
Trânsito Agentes
Foto: Divulgação/Prefeitura de Porto Alegre
Publicidade

Janeiro encerrou com 750 acidentes de trânsito em Porto Alegre, redução de 15% em comparação com dezembro de 2020, que registrou 890. Em relação ao mesmo período do ano passado, a diminuição é ainda maior, 19%.

Apesar da queda no número de acidentes, Porto Alegre registra estabilidade na acidentalidade e a Empresa Pública de Transporte e Circulação segue com as campanhas educativas e de fiscalização.

“Os condutores já demonstram maior consciência, mas a velocidade excessiva ou inadequada está entre os principais fatores de risco. Por isso, é importante manter os cuidados e as ações de fiscalização neste período de férias. O objetivo é conscientizar os motoristas e diminuir a imprudência”, afirma o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação, Paulo Ramires.

Publicidade

Segundo dados da Empresa Pública de Transporte e Circulação, cinco pessoas morreram em janeiro em razão da imprudência no trânsito, uma morte a mais do que dezembro. Já em relação ao mesmo período em 2020, foram duas mortes a menos.

Os feridos somaram 307, redução de 26% em comparação com janeiro do ano passado. Acidentes envolvendo motocicletas também apresentam o maior número de feridos, 182, seguidos de 38 feridos em atropelamentos, sendo 12 feridos em atropelamentos por motos.

Vida no Trânsito

Porto Alegre integra o Programa Vida no Trânsito, coordenado pelo Ministério da Saúde, e desde 2012 faz a análise de todos os acidentes fatais, com o objetivo de identificar os fatores e condutas de risco que resultaram em acidentes com mortes. As causas de acidentes de trânsito decorrem, na sua maioria, de ações comportamentais dos usuários das vias (condutores e pedestres).

A partir da identificação desses fatores e condutas de risco, como subsídio para as áreas de educação, planejamento e fiscalização, as ações são direcionadas para a prevenção de novos acidentes.

Como resultado dessa metodologia, Porto Alegre, que tem uma das menores taxas de mortalidade no trânsito entre as capitais brasileiras, antecipou em dois anos a redução de 50% na projeção do número de mortes estabelecida pela Organização das Nações Unidas para a Década de Ação no Trânsito (2011 – 2020), que era de, no máximo, 76 mortes para 2020 em Porto Alegre.

Já em 2020, este índice foi ainda menor, com 64 mortes, enquanto em 1998, no ano de criação da Empresa Pública de Transporte e Circulação, 199 pessoas perderam a vida no trânsito.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui